Publicado por: Nuno Gouveia | Fevereiro 2, 2008

A três dias da Super Terça-Feira

usast.jpg

A Super Tuesday foi instituída em 1984, quando os Democratas do Sul, para recuperar a influência perdida nos anos 60, marcaram uma série de primárias para o mesmo dia. Deste então o mês de Março acolhe, nos dois partidos, uma série de primárias e caucus que se realizam no mesmo dia e têm selado o destino dos processos de nomeação em ambos partidos.

Este ano, com a antecipação de diversas primárias, como as da Florida ou do Michigan, os Partidos decidiram marcar a Super Terça-Feira para Fevereiro. Pela primeira vez na história eleitoral dos Estados Unidos, mais de 20 estados vão a votos no mesmo dia. Será a mais importante data do calendário eleitoral das primárias. A Califórnia e Nova Iorque, que eram estados irrelevantes nesta fase de escolha dos candidatos, anteciparam a data da realização das suas primárias para a Super Terça-Feira, tornando-a ainda mais aliciante. São 24 os estados que vão a votos no próximo dia 5 de Fevereiro, e pela primeira vez, poderá ter um desenlace inconclusivo, principalmente no Partido Democrata.

Hillary ou Obama?

No Partido Democrata, o processo de nomeação poderá esta longe da sua conclusão. Nunca na vida do Partido se viu uma corrida como esta, com dois candidatos a entusiasmarem de tal modo as suas bases de apoio, que nenhum irá desistir depois de terça-feira se não ficar absolutamente convencido que foi derrotado. Neste momento, Barack Obama lidera na contagem dos delegados já eleitos, mas perde na totalidade de delegados declarados, se contabilizarmos os super delegados já comprometidos (dos 4050 delegados, 797 são super delegados que podem votar em quem desejarem). Superficialmente diríamos que Hillary lidera as bolsas de apostas, mas Obama tem vindo a recuperar terreno. O que torna o seu desfecho imprevisível.

Dissecando as sondagens dos maiores estados que vão a votos, Califórnia (307 delegados), Geórgia (103), Nova Iorque (281), Massachusetts (121), Illinois (185) e New Jersey (107), verificamos que também aqui Hillary está na linha da frente. Em Nova Iorque e New Jersey, a vitória não lhe irá fugir, tal como o Illinois será entregue a Barack Obama. Na Geórgia, um estado do Sul, Barack Obama deverá repetir a vitória da Carolina do Sul. No Massachusetts, Hillary lidera os inquéritos de opinião há muito tempo, mas os recentes de apoios de John Kerry e especialmente de Ted Kennedy, poderão alterar o resultado dramaticamente. A Califórnia é o grande prémio deste dia, e também aqui Obama tem vindo a subir em todas as sondagens. A última publicada na Quinta-Feira colocava o jovem Senador do Illinois a apenas 3% da antiga Primeira-dama. Nos restantes estados a tendência é basicamente a mesma: Hillary Clinton mantém vantagem sobre Obama, mas com este a recuperar. A dinâmica da candidatura de Obama nos últimos dias tem sido indiscutivelmente em crescendo e não tem parado de ganhar apoios importantes e comentários elogiosos, como os do clã dos Kennedy, do antigo Presidente Jimmy Carter ou da organização liberal MoveOn.Org. Outro aspecto que joga a seu favor é que nos Estados Unidos um considerável número de eleitores costuma decidir o seu voto em cima da eleição. As sondagens à boca das urnas nas últimas primárias, Carolina do Sul e Florida, disseram que este tipo de eleitores votou maioritariamente em Barack Obama. Mas arriscar um prognóstico é fazer futurologia sem bases argumentativas sólidas. O cenário mais previsível é que nenhum dos dois irá conseguir uma vitória consistente e as primárias irão continuar pelo menos até 4 de Março, data em que se realizam as primárias no Ohio e Texas, outros estados que elegem muitos delegados.

Mccain em vantagem

No Partido Republicano, e ao contrário do que seria de esperar há umas semanas, as coisas estão muito mais simplificadas. A escolha resume-se a John Mccain ou a Mitt Romney. O Senador rebelde do Partido Republicano conseguiu vencer no New Hampshire, Carolina do Sul e Florida, três realidades diferentes, e já conseguiu unir à a base moderada do GOP, depois da desistência e endorsement de Rudy Giuliani. A facção conservadora, que lhe é extremamente hostil, está reunida em redor de Mitt Romney, que é um convertido à causa conservadora, depois de ter sido Governado no liberal estado do Massachusetts.

Mas, apesar da resistência conservadora, o nomeado Republicano deverá ser encontrado a 5 de Fevereiro, não porque a vantagem de Mccain é muito grande, porque não o é, mas sim pelo sistema que o GOP tem em alguns estados. Em Nova Iorque (101 delegados), Missouri (58), New Jersey (52), Connecticut (30) e Arizona (53), o vencedor das primárias fica com todos os delegados, como aconteceu na Florida. O sistema “Winner Takes All” irá dar, quase de certeza, 204 delegados a Mccain nestes estados. Com outras vitórias que são esperadas, como na Califórnia (173) ou no Illinois (70), John Mccain irá deixar muito pouca margem de manobra ao seu adversário.

Mitt Romney, ao contrário do que foi inicialmente veiculado, lançou uma agressiva campanha de anúncios publicitários em diversos estados, tentando recuperar o atraso para John Mccain. O momentum não é dele e depois das derrotas da Carolina do Sul e especialmente da Florida, será uma tarefa faraónica ganhar a nomeação. Mas Romney é um político persistente e milionário. Os milhões de dólares da sua fortuna pessoal já investidos até ao momento apenas resultaram numa grande vitória, no seu estado natal do Michigan. Na Terça é improvável que consiga derrotar Mccain em muito mais estados do que no Massachusetts, no Colorado e em Utah, estado natal dos Mórmons.

Mike Huckabee, o antigo Governador do Arkansas, têm a perfeita consciência que não vai ser o nomeado Republicano. Poderá vencer em alguns estados do Sul, como no seu estado natal do Arkansas, na Geórgia, Alabama ou Tennessee, mas a sua corrida é outra. Se John Mccain for o nomeado Republicano, como se prevê, ele irá necessitar de um candidato a Vice-Presidente que seja capaz de aglutinar à sua volta os conservadores sociais. E Mike Huckabee luta por esse lugar. Por outro lado, ao manter-se na corrida, divide o voto conservador com Romney, favorecendo Mccain. Uma estratégia correcta que Huckabee tem vindo a delinear depois de ter percebido que não conseguía perfurar fora da base evangélica. Tem sido a grande surpresa destas primárias e poderá ser compensado por isso. O futuro o dirá.

Anúncios

Responses

  1. http://www.reuters.com/article/bondsNews/idUSN0249533620080203

    “Obama has a slight lead in California and is virtually tied with Clinton in New Jersey and Missouri heading into the biggest day of voting ever in a U.S. presidential nominating campaign, with contests in 24 states.”

    Caro Nuno,

    em New Jersey as coisas já estiveram melhores para Hillary.

  2. Mitt Romney venceu no Maine. Não merece um post?

    http://edition.cnn.com/ELECTION/2008/primaries/results/state/#ME

  3. Caro Jorge,
    Já tinha visto essa sondagem. Poderá cair para Obama. As certezas de ontem já não o são hoje. Uma questão relevante nesta campanha.

    Caro David,
    Sem dúvida. Este fim de semana tive um pouco ausente, mas irei retomar a actualização normal deste blogue hoje à noite.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: