Publicado por: Nuno Gouveia | Abril 10, 2008

Obama não deve aceitar financiamento público

Obama é provavelmente o melhor angariador de dinheiro na história da política americana. Já ultrapassou os 200 milhões de dólares e isto apenas para as primárias. Obviamente que isto levanta-lhe um problema. Questionado em Setembro sobre se aceitaria financiamento público, Obama respondeu desta forma:

“Sim. Em Fevereiro de 2007 propus um novo caminho para preservar a força do sistema de financiamento público nesta eleição. O meu plano necessita que os candidatos de ambos os partidos concordem numa trégua na angariação de fundos, devolvam os excessos aos doadores e aceitem o financiamento público para as eleições gerais. A minha proposta foi seguida de anúncios de alguns candidatos que iriam tentar angariar o máximo de dinheiro que podiam. A Federal Election Commission aprovou esta proposta legal e o senador John Mccain já aceitou este plano. Se for o nomeado democrata, vou procurar agressivamente um acordo com o nomeado republicano, para preservar o sistema de financiamento público para as eleições gerais de Novembro.”

Depois de ter obtido somas fabulosas nos últimos meses, é difícil Obama não enveredar pelo financiamento privado. Mas depois de sempre ter defendido o financiamento público, e de John Mccain ir aceitar estas regras para as eleições de Novembro, será interessante ver quais os argumentos que Obama vai utilizar para justificar a sua decisão. Recentemente, Obama já começou a falar de forma diferente. É mais que certo que vai saltar fora do sistema de financiamento público. Não irá perder credibilidade?


Responses

  1. Arrisca-se a perder credibilidade, sim. Mas se McCain insistir muito no assunto e quiser empurrar Obama contra a parede, vai ser interessante ver qual a reacção das bases republicanas e o efeito no discurso contra o excesso de despesa do Estado a que o próprio McCain dá voz.

  2. Vai com toda a certeza perder credibilidade. E são mais uns pozinhos a juntar a algumas questões (como a do rev. Wrigth ou a do NAFTA) que já trouxeram dissabores a Obama.

  3. Esta situação vai ser problemática…

    A lei Mccain-Feingold foi criticada pelos republicanos, mas muito defendida pelos democratas. Foi para combater a influência do dinheiro nas campanhas eleitorais que se fez a esta lei. Os republicanos eram, nos últimos anos, os grandes defensores de não haver limites nos gastos eleitorais. Agora vai ser ao contrário?


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: