Publicado por: Nuno Gouveia | Setembro 6, 2008

Balanço Final

Positivo da RNC’08

O discurso de Sarah Palin foi o momento alto da Convenção. Depois dos receios suscitados, a Governadora do Alaska acabou por ser o melhor que aconteceu a Mccain durante esta semana.

A união do Partido Republicano. Mccain saiu de Minneapolis – St. Paul com mais hipóteses de vencer, depois de ter aglutinado à sua volta a céptica base conservadora. E finalmente com apoiantes entusiasmados com a sua candidatura. O evento desta sexta-feira no Michigan já evidenciou isso.

A noite de quarta-feira. Um ataque devastador a Barack Obama protagonizado por Romney, Huckabee, Giuliani e Palin. Depois destes quatro terem falado, era impossível um republicano não ficar mobilizado para Novembro. Foi também a melhor noite da convenção, onde pela primeira vez nesta campanha se notou energia e exaltação no GOP.

Fred Thompson acabou por salvar a noite de terça-feira, com a sua intervenção aos delegados. Num dia particularmente morno, o antigo Senador do Tennessee fez uma defesa apaixonada do seu amigo Mccain.

A organização esteve quase perfeita. A excepção foi a presença de dois manifestantes anti-guerra na noite de quinta-feira. Gostava de saber como entraram no Xcel Energy Center. Li num blogue republicano que ostentavam sinaléticas da MSNBC. Será?

A intervenção de John Mccain. Não foi brilhante, mas conseguiu ter transmitir uma linguagem de moderação e independência em relação ao seu partido. E teve um fim em apoteose, com as milhares de pessoas que esgotavam o Xcel Energy Center a comprovarem o seu entusiasmo em relação ao ticket republicano.

Os níveis de audiência das últimas duas noites. Depois dos quase 40 milhões de Barack Obama em Denver (George W. Bush em 2004 apenas tinha tido 20 milhões de assistência), pensava-se que também aqui Mccain seria trucidado por Obama. Mas a polémica em redor de Sarah Palin ajudou o republicano. O discurso da candidata a VP teve uma assistência de 37 milhões, muitos mais que os 24 de Joe Biden. E John Mccain bateu mesmo o recorde de audiências em noites de convenções americanas.

Os temas da energia e da segurança nacional foram colocados no topo da agenda republicana. E isso poderá render votos nos importantes swing states. A Convenção foi também uma apresentação do herói John Mccain e os pollsters republicanos sabem que isso também dá votos

Negativo da RNC’08

O furacão Gustav retirou uma noite à Convenção. Isso até poderia ser incluído nos aspectos positivos, pois evitou a presença no Minnesota de Dick Cheney e George W. Bush. Mas tirou espaço mediático a Mccain, e mais do que isso, impediu a presença em Minneapolis St. Paul de oradores que poderiam ter feito a diferença, como Arnold Schwarzeneger, Bobby Jindal e Charlie Crist.

A ausência de star power nesta Convenção. Poucos foram os oradores que conseguiram protagonizar discursos verdadeiramente estimulantes para a audiência. Em comparação com Denver, houve um claro decréscimo de qualidade na oratória dos intervenientes.

A noite de terça-feira. Apenas Fred Thompson se salvou, com Joe Lieberman a fazer um discurso algo monótono, que não aqueceu a sala. O seu público-alvo estava em casa, mas não sei se terá sido eficaz. De resto, tudo muito morno.

A pouca diversidade racial na Convenção. Eu falei com negros, hispânicos e brancos. Mas os últimos eram uma maioria esmagadora. Michael Steele, uma das estrelas desta semana, e negro, confessou que é frustrante esta situação, e defendeu que as derrotas de 2006 de três candidatos negros ao congresso não ajudaram a situação. A lei da imigração (apresentada por Mccain e apoiada por Bush) foi reprovada pelos republicanos no Congresso. Veremos que consequências terão já este ano voto hispânico. O GOP tem de abrir-se mais às minorais étnicas num futuro muito próximo, se quiser como partido de poder viável.

A quase ausência de referência a temas que os americanos estão preocupados, como a economia e a saúde. Se nos dois últimos, isso poderá não ser grave, pois os republicanos sabem que os independentes tendem a preferir as soluções democratas, na economia, normalmente, os republicanos costumam ganhar votos com a sua abordagem fiscal conservative. Com a crise económica que se abate sobre os EUA (não é recessão), Mccain tenta esquivar-se em debater este tema. O que lhe pode sair caro para Novembro.

As manifestações. Estive em dois protestos, e não tenho nada a apontar de negativo, antes pelo contrário, às pessoas que neles participavam. Mas os relatos que me chegaram, com tentativas de ultrapassar o bloqueio policial, agressões a delegados (ouvi uma velhinha de 60 anos queixar-se de ter sido empurrada e insultada à saída do autocarro) e vandalismo na baixa de St. Paul, não é animador. Bem sei que foi uma minoria dos manifestantes que provocaram estes desacatos. Mas acaba por manchar os protestos, que se diziam pacíficos. E parece-me que nem têm muitas razões de queixa, pois podiam ir até muito próximo do local da Convenção. Constou-me que em Denver estavam bem muito longe.

Este blogue regressa agora à normalidade. Gostava de agradecer à organização da RNC’08 pelas condições que me ofereceu durante a estadia no Minnesota, especialmente a todos os voluntários que convivi durante esta semana. O meu obrigado aos leitores que mantiveram este blogue muito activo durante as minhas ausências e por fim à LPM, pelo apoio concedido.

Advertisements

Responses

  1. Obrigado nós por ser uma das únicas pessoas em Portugal que compreende a lógica da Politica norte-americana.

    Sobre os EUA e estas presidenciais ouvem-se demasiados disparates de pessoas que a sua alta responsabilidade exigia um melhor conhecimento do fenómeno.

    Parabéns.

  2. “A organização esteve quase perfeita. A excepção foi a presença de dois manifestantes anti-guerra na noite de quinta-feira. Gostava de saber como entraram no Xcel Energy Center. Li num blogue republicano que ostentavam sinaléticas da MSNBC. Será?”
    Se for, a estação de televisão merece um sério escrutínio político e mesmo institucional – incitar desacatos é crime. E um possível boicote do GOP.

    Provavelmente, o alargamento da convenção a sexta-feira podia ter resolvido isso. Embora pudesse gerar mais fricção nos media…

    Penso que Thompson não ajudou assim tanto a essa noite.. E que o discurso de Liberman foi mais importante.

    Quanto às minorias, só se pode fazer um juízo depois de se fazer um levantamento da percentagem que elas representam no total de militantes. Se houver discrepâncias, aí sim, as críticas terão toda a razão.

  3. PS: sobre os protestos no discurso de McCain, o que dirão os apoiantes de Obama que, neste blog, falam na parcialidade da Fox News, mas se “esquecem” sempre da da NBC?


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: