Publicado por: Nuno Gouveia | Outubro 9, 2008

Landslide para Obama?

As perspectivas para o campo republicano não são as melhores. A descida vertiginosa das sondagens, desde que a crise rebentou em Wall Street, já leva a pensar alguns estrategas democratas que é possível a o candidato democrata obter mais de 350 votos eleitorais. Eu sempre acreditei que estas eleições iriam ser renhidas, apesar da impopularidade da actual Administração republicana. O facto de o candidato do GOP ser John Mccain, um político desde sempre respeitado por independentes e democratas, principalmente por ter estado diversas vezes contra os interesses do seu partido. Na semana anterior à crise, Mccain até liderava com uma curta vantagem a maioria das sondagens. Mas num mês tudo mudou.

Obama surge neste momento com vantagem (em alguns estados até confortável) em muitos estados que votaram W. Bush em 2004: Ohio, Florida, Novo México, Colorado, Nevada, e os Red States desde 1964, Virgínia e Carolina do Norte. Além disso, está à frente em todos os estados que votaram Kerry, mesmo no New Hampshire. Se as eleições fossem hoje, Obama ganharia estes estados todos que referi, e provavelmente o Indiana e Missouri. O que significaria um landslide (mas nada que se compare a 1972 ou 1984).

A forte campanha negativa que os republicanos lançaram na semana passada ainda não se sente nas sondagens, mas o mais provável é que venha a surtir algum efeito. Mas não sejamos ingénuos: Para Mccain ter possibilidades de aproximar-se de Obama, vai precisar de algo mais do que anúncios negativos. E para isso, Steve Schimidt vai ter de tirar um coelho da cartola.

Anúncios

Responses

  1. Ainda hoje, ao ler sobre os mais recentes resultados das sondagens no jornal me veio isso à cabeça.

    Há 4 anos atrás, os republicanos ficaram rejubilantes pela vitória que qualificaram de “esmagadora” de Bush contra Kerry (que apenas foi boa e apenas e só no colégio eleitoral).

    Agora Obama parece estar em condições de conseguir uma vitória que seria realmente esmagadora (pelo menos no colégio eleitoral) sobre McCain.

    Contudo, não creio que seja apenas a crise financeira (e cada vez mais também económica) a provocar isto, embora seja absolutamente decisiva. McCain calculou muito mal toda a sua campanha nos últimos tempos: Palin foi muito pior escolha do que se pensava (em estilo poderia ser interessante, mas isso durou até começar a abrir a boca), McCain embrulhou-se até em áreas onde é supostamente forte (segurança nacional e política externa), passou a deixar-se levar pelos conservadores e estragou aquela imagem de maverick que sempre cultivou (os eleitores não gostam de ver alguém que se considera um maverick a seguir os mantras dos políticos neocons).

    Ainda falta ver o que representará o momento decisivo do voto, aquele momento em que muitos eleitores, depois de terem dito que sim, votariam em Obama, se lembram que ele não é exactamente branco… Fora isso, esta eleição pode ser um simples “shoo-in” para os democratas.

    PS – isto pode também reflectir-se no Congresso. Será interessante ver os reflexos que a eleição poderá ter no Congresso e Senado e vice-versa.

  2. Segundo as sondagens, quer no senado quer no congresso a vantagem democrata vai aumentar… e bem!

  3. Tenho medo que a questão racial, no momento final da urna de voto, tenha influência decisiva em Estados renhidos.

    Estaremos a falar de menos 4 por cento para Obama, nos resultados finais?

    Miguel Direito

  4. Obama joga à defesa…continua no mesmo caminho, sereno…e sempre que algum “coelho” novo sair da cartola da parte de Mcain, Obama responde logo à letra. (n vai cair no erro das respostas santinhas de Kerry)

    Acredito q Obama tem mts coelhos na cartola pra usar, se for necessário.

  5. Obama respondeu esta semana com o Keating Five. E não irá parar por aqui. A grande diferença de Obama para Kerry e Gore é a sua enorme capacidade política. Ao contrário dos dois antecessores democratas, Obama tem carisma político e tem melhores estrategas a trabalhar com ele. E isso está a fazer toda a diferença.

  6. Obama nem precisa de trabalhar mt pra desencantar histórias sujas, veja-se:
    http://dailysource.org/palin/148

    mas as histórias sujas são um arremesso ordinário, só demonstra a fraqueza de ideias!

    até agora só Obama falou em coisas uteis quer para a educação como para a finanças…! Pode até nem conseguir cumprir as ideias, mas é um passo dado.

    Creio que, como dizia bem Clinton, Obama tem uma equipa mais bem preparada para enfrentar desafios dificeis, que os EUA atravessam.

    Os americanos não estão a levar muito a sério as campanhas sujas que Mcain está a levar contra o Obama, creio mesmo que vai ser preciso estoirar uma bomba nos EUA, e mesmo assim…!


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: