Publicado por: Nuno Gouveia | Outubro 20, 2008

O dinheiro é importante

Lembro-me que há quatro e oito anos os republicanos foram acusados pelos democratas de comprarem as eleições, dada a diferença de fundos entre o DNC e RNC. Apesar de tanto Kerry, Gore ou Bush terem optado pelo financiamento público, a utilização de fundos dos partidos, e também de grupos 527, proporcionaram vantagens financeiras para os republicanos. Apesar dos democratas não serem nenhuns “coitadinhos”, pois foram dispendidos milhões de dólares em campanhas negativas contra Bush, a mais famosa pelo milionário George Soros, a verdade é que os republicanos sempre tiveram mais dinheiro à sua disposição.

Mas neste ciclo eleitoral, os papéis inverteram-se, e Barack Obama está a gastar quatro vezes mais dinheiro que John Mccain. Li hoje num artigo que Obama, que está ligeiramente atrás nas sondagens na West Virginia, neste fim-de-semana fez compras publicitárias no valor de 1,2 milhões de dólares por dia. Segundo esta notícia, John Mccain, que tem 84 milhões de dólares para investir durante toda a campanha desde Setembro, pode dar-se ao “luxo” de investir 1, 4 milhões de dólares por dia… nos 50 estados. Recordo que a West Virgínia tem dois milhões de habitantes e vale cinco votos eleitorais.

Nas primárias, a superioridade financeira já tinha sido muito importante para derrotar Hillary Clinton, com um investimento superior a 2 para 1 na maior parte dos estados, e 4 para 1 em estados como o Ohio ou a Pennsylvania, onde a antiga Primeira-dama venceu. O que prova que o dinheiro não é tudo em campanhas eleitorais. E contradiz aqueles que acreditam que só o dinheiro conta na política americana.

Durante o mês de Setembro, Barack Obama angariou 150 milhões de dólares, e é muito provável que este mês ultrapasse esse valor. Mais de três de milhões de pessoas já contribuíram para a sua campanha, e a Internet tem-se revelado uma peça fundamental nesta estratégia. Cada pessoa pode doar cerca de 2300 dólares por ciclo eleitoral (primárias e gerais), mas apenas a partir dos 200 dólares são obrigadas a preencher um formulário para entregar ao Federal Election Commission. O que na prática abre a porta a ilegalidades, e já houve acusações de doações ilegais de dinheiro, pois várias pessoas podem ter ultrapassado largamente o valor de 2300 dólares, com várias pequenas contribuições. Outra acusação que é que Obama tem recebido dinheiro de estrangeiros, o que é ilegal segundo a lei do financiamento. Mas Obama não obteve estes milhões apenas de apoiantes da Internet, e foram vários os eventos realizados com as entradas a custarem milhares de dólares. Só num evento em Hollywood, no mês passado angariou mais de 11 milhões de dólares.

Segundo o New York Times, já excedeu o recorde de investimento publicitário de George W. Bush nas eleições gerais de há quatro anos, que foi de 188 milhões de dólares, o que demonstra o tamanho da superioridade financeira. Obama tem gasto dinheiro dia e noite, em televisões locais, nas televisões por cabo e nas redes nacionais de televisão. Como vimos na semana passada, comprou também publicidade em jogos de computador e espaço televisivo de meia hora seguida na televisão nacional. Segundo Kenneth Goldstein, director do Advertising Project da Universidade do Wisconsin, citado pelo NY Times, “nunca assistimos, numa corrida presidencial, a um lado a ter uma superioridade tão avassaladora”. Como diz o artigo do NY Times, esta ascendência financeira tem permitido a Obama conduzir uma campanha dominante, com um contraste entre anúncios negativos e positivos, enquanto o seu adversário tem-se mantido apenas com publicidade negativa. No debate da semana passada, John Mccain acusou o seu adversário de ter gasto verbas recordes em campanhas negativas, enquanto Obama referiu que a campanha de Mccain era quase 100% negativa. Ora, ambos disseram a verdade.

Com uma superioridade financeira tão evidente, parece-me prudente que o candidato democrata diminua um pouco o investimento financeiro, até porque poderá parecer exagerado para alguns eleitores. Pelo menos ser mais comedido. Para o candidato republicano, que não tem a mínima possibilidade de competir financeiramente com estes meios desproporcionais, talvez sejam uma boa linha de ataque.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: