Publicado por: Nuno Gouveia | Outubro 29, 2008

Joe The Plumber – Republican Hero?

Os republicanos têm tido uma vantagem inegável nos últimos ciclos eleitorais: a comunicação com o americano médio. Nos Estados Unidos, como em qualquer democracia, vence quem conseguir transmitir melhor a sua mensagem ao seu universo eleitoral.

George W. Bush bateu por Al Gore porque evidenciar mais “humanidade” e “espontaneidade”. Gore era o típico político americano que nasceu para ser Presidente. Bush, com uma juventude rebelde e com um discurso mais semelhante ao eleitor comum, acabou por vencer num ciclo eleitoral que lhe era completamente desfavorável. Em 2004, Kerry, numa altura que os americanos estavam atolados no Iraque, poderia ter derrubado Bush, mas os erros de um político nada carismático, associados à campanha negativa, fabulosamente orquestrada por Karl Rove, acabaram por ditar a continuação de Bush na Casa Branca.

Barack Obama, um político acima da média, está a provar que estudou bem as derrotas dos seus antecessores. Em primeiro lugar, porque tem conseguido ter um discurso próximo do cidadão comum. Apesar de raramente sair da mensagem pré-definida, e de demonstrar pouca espontaneidade, esse controlo e segurança que exibe tem convencido os eleitores preocupados com a situação económica. Depois de oito anos da Administração Bush, os eleitores culpam os republicanos pela crise. E Obama tem oferecido um discurso alternativo, com um grau de sustentação que agrada ao eleitorado de centro-direita, descontente com o rumo da América. Os seus antecessores tinham feito campanhas eleitorais muito elitistas, longe dos valores da América profunda. Mas à excepção do erro no caso “Bittergate”, Obama tem sido exemplar. Durante as primárias, focou por diversas vezes a importância da religião na sua vida, apesar de ser um defensor do aborto livre, nunca foi muito efusivo nesta matéria e afirmou-se contra o casamento homossexual, apesar de ter dito que era contra uma Emenda na Constituição para o proibir. Em relação à Segunda Emenda, e aquando da decisão do Supremo Tribunal sobre a interdição de armas em DC, manifestou-se favorável ao fim da proibição. Por fim, e numa atitude inteligente, tem usado as celebridades em seu favor apenas na situação que estas podem realmente fazer a diferença: na angariação de fundos. Com uma campanha destas, ressalvando a base republicana mais fervorosa, nada tem feito para assustar os eleitores indecisos e republicanos moderados. Daí os números favoráveis em estados tradicionalmente republicanos.

Com este quadro, John Mccain tem falhado redondamente em convencer o eleitor médio. A falta de comunicação com estes independentes, que tendem a votar no GOP, mas que discordam profundamente da base mais ideológica do Partido, é uma evidência. A nomeação de Sarah Palin, apesar de ter colocado energia numa campanha que carecia dela, tendeu afastar o centro político. Não desprezando o facto que os candidatos a VP raramente interferem na eleição, a deriva direitista de Palin poderá ter afastado, de certo modo, os moderados de Mccain. A recente utilização de Joe The Plumber poderá ser poderosa em termos do seu significado. Não propriamente pelo que o senhor diz (já se viu que nada diz de interessante), mas pela mensagem que transmite ao eleitorado. Um dos deles, um trabalhador, a lutar ao lado dos republicanos contra Obama. A única hipótese que Mccain tem nestes últimos dias é a de convencer os indecisos a apoiá-lo. E para o fazer, tem de demonstrar que Obama não é qualificado para o cargo e que está muito afastado do mainstream político. Seja pelas associações ao socialismo, a Bill Ayers ou activistas palestinianos, Mccain necessita de persuadir os eleitores que Obama é demasiado radical para ser Presidente. Joe The Plumber é o americano comum que fala a mesma linguagem que o eleitor médio. E nesse aspecto, poderá ser mais eficaz que qualquer estrela de Hollywood. Do ponto de vista puramente eleitoral, não me parece má ideia a utilização de Joe The Plumber. Em termos do conteúdo, é, de facto, muito fraco.  Mas por outro lado, não será demasiado poderá parecer demasiado “desesperante”? E será Joe The Plumber, não a pessoa em si, mas a sua personificação, o herói republicano?

PS: Joe The Plumber até já pensa em candidatar-se ao Congresso em 2010.


Responses

  1. “A única hipótese que Mccain tem nestes últimos dias é a de convencer os indecisos a apoiá-lo. E para o fazer, tem de demonstrar que Obama não é qualificado para o cargo e que está muito afastado do mainstream político. Seja pelas associações ao socialismo, a Bill Ayers ou activistas palestinianos, Mccain necessita de persuadir os eleitores que Obama é demasiado radical para ser Presidente.”

    Nuno: isto é too later!

  2. Sim, estou de acordo. Mas não é impossível. E esta é a única estratégia para Mccain.

  3. Só um apontamento lateral: esta ambição do Joe the plumber tem um sabor bem americano. Se conseguir o apoio do GOP (de que aprece estar mais perto) não me admirava nada que ganhasse o lugar. E não seria o primeiro blue collar no Congresso. É também por coisas destas que os EUA são a terra da democracia.

  4. […] Room: o sucesso “comum” de um “elitista” Nuno Gouveia, Eleições Americanas 2008: Barack Obama, um político acima da média, está a provar que estudou […]

  5. Carmex: Joe “The Plumber” é um Republicano registrado, soubesse depois do debate que o tornou famoso!

  6. “E não seria o primeiro blue collar no Congresso”

    E como Governador ja tiveram o wrestler Jesse Ventura, no Minnesota.

    Mas nao tem o exclusivo. O Brasil tem o Lula a Presidente. E em Portugal Jeronimo de Sousa e operario metalurgico. E um caixa de um banco chegou a MAI.

    Mas nesses aspecto os italianos ganham. Depois da Cicciolina tem agora a Milly D’Abraccio.

  7. Rui Pedro, obrigada, essa tinha-me escapado; fiquei pela parte em que o Joe não era um plumber registado!

    Fernando Vaz, a diferença – e é muita – é que nos EUA os blue collar não são exclusivo da esquerda nem defensores dos disparates predilectos do Dr. Vara ou do Sr. Sousa. Já uma actriz porno não estou a ver a ser eleita pelos republicanos…

  8. Vamos por partes:”Barack Obama, um político acima da média…”!!! Mas como? O cara foi ativista a vida inteira, nunca produziu nada de bom(só militante de esquerda), ficou no Senado apenas 140 dias(+ ou -)……..que experiência ela tem?
    “Depois de oito anos da Administração Bush, os eleitores culpam os republicanos pela crise.” Em 2005, Alan Greenspan foi ao Senado para pedir que se votasse uma lei para acabar com os empréstimos concedidos à qualquer um, avisando que isso(a crise) aconteceria. O Partido democrata, encabeçado pela Hilary, e o vice de Obama, vetaram a proposta e deu no que deu….
    Todos os indícios são de que ele é muçulmano, todos, mas ele se diz cristão……?????? Cristão não pode ser à favor do aborto livre, pô!!!
    “afirmou-se contra o casamento homossexual, apesar de ter dito que era contra uma Emenda na Constituição para o proibir.” Um político não pode ser visto pelo que fala, e sim pelo que faz, e suas conexões(esquerda mundial, associações pró-terroristas…..). Ele não responde nada que o comprometa(são várias as situações) e o processo que ele responde apenas para mostrar sua certidão de nascimento, ele botou um monte de advogados para NÃO ter que mostrar, através de argumentos jurídicos complicadíssimos, quando seria mais fácil mostrar a certidão(ele não tem uma verdadeira, pode apostar!).
    E ele não é negro, ele é MESTIÇO. Afro-american é descendente de escravo americano, coisa que ele não é!!!!!!!
    O Mccain não é grande coisa, mas o Obama é todo fake(falso). Um candidato feito com dinheiro de fora dos EUA para destruir a maior democracia do Planeta.
    Que Deus nos ajude, se isso acontecer!!!!
    Abraço

  9. Além de muçulmano dizem que ele tem um horrível plano de ataque à bomba na Casa Branca, dizem, ñ sou eu quem afirmo. Estou pendente para MacCain agora. Além do mais falaram que ele pretende difundir o Comunismo em território americano.

  10. Sarah Palin anunciou no programa Good Morning America seu desejo para candidatura presidencial em 2004. Que tipo de remédios ela deve tomar?

    Abraço à todos!

  11. Desculpe ela disse candidatura 2012. depois falam que a imprensa é sexista por que não editam as burrices dela.

  12. “Vamos por partes:”Barack Obama, um político acima da média…”!!! Mas como? O cara foi ativista a vida inteira, nunca produziu nada de bom(só militante de esquerda), ficou no Senado apenas 140 dias(+ ou -)”

    halley: O facto de ele estar em vantagem na corrida a presidente da América, mesmo com todas essas condicionantes q você escreveu, é q fazem dele um politico acima da média. Pois é um caso raro alguem chegar tao longe sem quase nenhuma experiencia.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: